A noite das bruxas aproxima-se e vimos aqui contar uma história assombrada. Uuuuuuuu Sabiam que existe um fantasma numa casa em ruínas no bairro do Lumiar em Lisboa? Não? Pois, então leiam. Aviso! Se terminarem de ler e ficarem perturbados ou demasiado assustados, nós não nos responsabilizamos pelos danos psicológicos causados. Buu! Impróprio para cardíacos. Bu!

(Imagem: Reprodução Misérias de Lisboa)

Imagem: Reprodução Misérias de Lisboa

Por detrás de uma paisagem verdejante esconde-se uma casa em ruínas. Situa-se, precisamente na Quinta das Conchas e dos Lilases, no Lumiar em Lisboa, resultado de recuperação de duas quintas do século XVI, agora espaço público de lazer. Após ter passado por várias famílias, esta quinta tornou-se propriedade de Francisco Mantero que a adquiriu em 1899 e foi seu proprietário até 1927. Da casa pouco resta, mas consegue-se ver a sua estrutura apalaçada, fazendo lembrar as antigas casas coloniais.  Mantero era um importante roceiro em São Tomé e Príncipe. Viveu em Angola, Moçambique e Timor e foi sócio fundador da sociedade de Geografia em Lisboa. Acabou por fundar as roças de Santa Margarida, Monte Macaco e Maianço nas ilhas de São Tomé e Príncipe, cuja exploração principal era o cacau ou o café. Apesar de uma vida extraordinária, Francisco Mantero escondia um lado sombrio…

(Imagem: Reprodução beatrizpereiradc.wordpress.com)

Imagem: Reprodução beatrizpereiradc.wordpress.com

Reza a lenda que Mantero apaixonou-se por uma nativa de São Tomé, de quem teve uma filha. A mulher de rara beleza passou a viver na casa da Quinta das Conchas. Talvez por um ciúme cego ou por não a querer à vista de outros olhares,  aprisionou a pobre nativa numa jaula de espaço claustrofóbico. Após muitos anos de cativeiro a pobre mulher enlouqueceu, acabando por morrer. Mas ainda se ouve pela casa, primeiro um choro e um lamento suave, depois o som aumenta em gritos de desespero…

Conta-se, igualmente, que existe um tesouro escondido  cheio de relíquias trazidas de África, mas que até hoje ainda ninguém descobriu, talvez por receio do espírito amargurado e amaldiçoado.  Se se sentem motivados para procurar pelo tesouro, não é possível. Existe um perigo bem mais real anunciado por um sinal da CML avisando o risco de derrocada. Será uma forma de afastar os caçadores de tesouro ou de fantasmas? Mistérios….

Isabel Bernardo
Isabel Bernardo
Nascida e criada em Lisboa, tem a literatura, línguas e turismo como formação e um carinho especial pelo património, história, escrita e música. Entra nesta aventura, pelo gosto que tem em construir historias e passeios e pelo contacto com as pessoas. Fora da Rota é isso mesmo! Uma viagem enriquecedora entre amigos, mostrando os encantos de Portugal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *