O Festival Músicas do Mundo em Sines já decorreu há quase um mês, mas no entanto, deixamos o testemunho de um amigo que relata a sua experiência neste festival. Fica a referência no próximo ano, quem sabe com uma ajuda da Fora da Rota Tours! :)

(Imagem: Reprodução Arte Sonora)

Imagem: Reprodução Arte Sonora

”Foi com grande expectativa que fui pela primeira vez ao Festival de Músicas de Mundo 2016. O FMM é já um clássico nos festivais de música em Portugal, realizando-se desde 1999, na cidade em Sines e também na aldeia de Porto Covo. Em Sines, o espaço de eleição é o castelo, dentro do qual decorrem muitos dos concertos à noite e que torna o ambiente é verdadeiramente fantástico com muitos milhares de pessoas a afluírem ao longo do festival.

Como o nome indica, o ponto forte deste festival é a multiplicidade dos estilos musicais que se podem ouvir, com músicos provenientes dos 4 cantos do planeta. Para muitas das pessoas que vêm ao evento, pode ser uma descoberta de novos artistas que não fazem parte do circuito mais comercial. E confirmou-se um fim de semana cheio de ritmo e boa música!

Goncalo Sines

Imagem: Gonçalo Costa Levy, Fora da Rota Tours

Goncalo Sines2

Imagem: Gonçalo Costa Levy, Fora da Rota Tours

(Imagem: Gonçalo Costa Levy, Fora da Rota Tours)

Imagem: Gonçalo Costa Levy, Fora da Rota Tours

Mas a experiência de ir a este festival pode (e deve) ser muito mais do que música. Devido à sua localização, em pleno litoral Alentejano, recomenda-se a visita às praias fantásticas desta costa, não só em Sines e Porto Covo, mas também Vila Nova de Milfontes ou Santo André, vilas a cerca de 30 minutos de Sines. E há que acrescentar a excelente gastronomia local!

Em resumo, uma passagem pelo Festival de Músicas de Mundo é certamente uma experiência a não perder!”

Texto de Gonçalo Costa Levy

Fora da Rota
Fora da Rota
O projeto chamado Fora da Rota Tours foi idealizado por três jovens apaixonadas por viagens e, além de percursos alternativos cheios de aventura, irá abordar também lugares e rotas com ligação a lusofonia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *