Criou-se o imaginário de que Lisboa tem sete colinas, tal como as grandes cidades de Roma e Atenas. Com a clara expansão da população e as características geográficas da cidade isso não é bem verdade, mas dizemos que sim para criar uma certa magia. Lisboa, tal como cidade mítica, tem 7 colinas. Cansam um pouco as nossas pernas, mas quando chegamos ao topo de cada uma encontramos sempre novas surpresas. Inspirados pela chegada da Primavera, fomos visitar a Colina de Santana.

A Colina de Santana pertence à freguesia de Arroios. É a colina dos hospitais, de edifícios palacianos. É onde encontramos o jardim do Campo Mártires da Pátria e a romaria ao santo no coração da tradição popular, a Faculdade de Ciências Médicas, onde o Vasco Santana no filme Canção de Lisboa fez o seu exame, o jardim do Torel onde o mesmo Vasco cantou o fado do estudante. Um local cheio de charme, onde de momentos podemos fechar os olhos e esquecer a agitação citadina, onde caminham alguns turistas, onde os velhotes alimentam o seu vício de jogar às cartas e de alimentar as variadíssimas aves. São estas galos emproados que cantam altivamente durante o dia, patos a brincar e a tomar o seu banho nas frescas águas do lago e a deliciar o olhar feliz das crianças. Aqui aprende-se a saber estar e bem.

Os hospitais…

(Imagem: Reprodução Publico)

Imagem: Reprodução Publico

Esta colina é mais conhecida por ser a colina dos hospitais. Eram antigos conventos que foram posteriormente convertidos em estabelecimentos de saúde, depois do terramoto de 1755. É o berço do ensino da medicina em Portugal, pois tem mais de 500 anos de história representados num património rico nos hospitais de São José, Capuchos e Santa Marta .

 

Os jardins…

Campo Mártires da Pátria

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

Este espaço já foi muita coisa – já recebeu uma praça de touros, a feira da ladra e um mercado de hortaliças. O seu nome é dedicado à memória de onze homens que foram executados por serem suspeitos de conspiração contra o general inglês Beresford, que governava o país após as invasões francesas. Ao fundo do jardim vemos uma estátua rodeada de lápides em agradecimento por milagres ou promessas. A estátua é do Dr. Sousa Martins, que apesar de nunca ter sido reconhecido como santo pela igreja, existe na crença popular que ele faz milagres.

O Jardim do Torel

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

Um pequeno paraíso. Um canto na cidade que poucos conhecem, de onde se desfrura uma vista deslumbrante da cidade. Originário de uma quinta do século XVIII, deve ao seu nome ao seu antigo proprietário, de origem holandesa, Cunha Thorel. Em janeiro de 1928 o terreno foi cedido à Câmara Municipal de Lisboa que construiu o jardim e o miradouro que conhecemos. O jardim é rodeado por moradias nobres dos séculos XVIII e XIX.

 

Outros locais de interesse:

Xuxentude de Galicia

(Imagem: Reprodução LifeCooler)

Imagem: Reprodução LifeCooler

Não muito longe do Jardim do Torel encontramos a Casa da Xuventude de Galicia. Fundada em 1908 esta associação tem como principal interesse o de difundir e dar a conhecer a cultura e as tradições galegas. Das várias atividades que organiza destacam-se as aulas de sevilhanas, de música tradicional e tem um restaurante.

Elevador do Lavra

(Imagem: Reprodução fine art america)

Imagem: Reprodução fine art america

É o mais antigo elevador da cidade que ajuda a subida desde o Largo da Anunciada ao Torel. Para mais informação poderão rever o nosso artigo sobre os elevadores da cidade aqui.

Palácio do Paço Real da Bemposta

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

Atual Academia Militar, o palácio foi originalmente construído no século XVII destinado a ser residência de D. Catarina de Bragança. Foi destruído com o terramoto de 1755 mas novamente recuperado. Vale a pena visitar a sua capela e até ao final deste ano o edifício recebe uma exposição temporária dedicada ao Marquês Sá da Bandeira – o último antiesclavagista, dentro da programação da Lisboa, capital Ibero-Americana da cultura.

Instituto Goethe

(Imagem: Reprodução Lifecooler)

Imagem: Reprodução Lifecooler

É talvez uma das melhores escolas para se aprender alemão. Mas mesmo que não tenha interesse em aprender a língua, poderá entrar no instituto para almoçar. Poderá escolher entre um prato vegetariano ou as famosas salsichas alemãs. Tudo muito bem feito e com gosto. No verão sabe muito melhor, pois almoça-se na esplanada num jardim bastante simpático. O instituto também organiza vários eventos culturais. Basta consultar o site do Instituto e estar atento.

Mu gelados

(Imagem: Reprodução Evasões)

Imagem: Reprodução Evasões

Seja verão ou inverno é irresistível ir à mais famosa gelataria Mu. Aberta há quase 3 anos, garante gelados 100% artesanais à boa tradição italiana e são… muuuuuu…uma delícia!

Restaurante PSI

(Imagem: Reprodução Saliva)

Imagem: Reprodução Saliva

Outra sugestão para encher a barriga. Situado frente ao Hospital dos Capuchos e rodeado por um jardim, o restaurante Psi é para os verdadeiros fãs e apreciadores de comida vegetariana. O Dalai Lama aprova, pois já foi lá recebido.

Isabel Bernardo
Isabel Bernardo
Nascida e criada em Lisboa, tem a literatura, línguas e turismo como formação e um carinho especial pelo património, história, escrita e música. Entra nesta aventura, pelo gosto que tem em construir historias e passeios e pelo contacto com as pessoas. Fora da Rota é isso mesmo! Uma viagem enriquecedora entre amigos, mostrando os encantos de Portugal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *