Graça é um bairro cheio de charme, situado na colina mais alta de Lisboa e como esta semana celebramos o dia da Mulher, isso faz todo o sentido. Na nossa opinião, este é o bairro mais feminino, cheio de Graça onde mulheres ligadas à nossa história tiveram um papel importante. E é um dos nossos locais favoritos para ver as vistas, desfrutar o pôr-do-sol, ouvir fado e não dizemos mais, pois terá de se juntar a nós para fazer connosco um dos nossos tours em Lisboa!

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

Ah Graça! Nós simplesmente adoramos. Os seus edifícios coloridos do século XIX diz-nos que este é um bairro mais novo do que Alfama ou Mouraria. Cresceu depois do grande terramoto de 1755 e com a industrialização em Xabregas e Marvila. Com isso, muitos trabalhadores fabris vieram morar na Graça onde foram construídas várias vilas operárias. Não deve perder de vista o edifício azul da Villa Souza, os edifícios com graça da Estrella D’Ouro ou a charmosa Villa Berta.   Graça tem muito charme. Os edifícios coloridos, os jardins e o miradouro da Graça fazem lembrar um estilo de vida Parisience. E já que o dia Internacional da Mulher está próximo, Graça é um bairro com uma feminilidade muito presente. Basta olhar nas ruas a homenagem às mulheres que fizeram parte da nossa história de artistas, intelectuais e poetas. Natália Correia, uma poetisa famosa criou o Botequim na década de 70, como local de tertúlia de intelectuais e artistas.

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

Sabia que o nome oficial do miradouro da Graça é Sophia de Melllo Breyner Anderson? Era outra poetisa famosa, que tinha como este miradouro o seu lugar predilecto para se inspirar.

Florbela Espanca, uma poetisa com uma vida trágica também tem a sua homenagem em arte de rua, colocada no edifício onde vivia. E se caminharmos pelas ruas, iremos encontrar referências pintadas sobre estas mulheres nas paredes. E a figura feminina também aparece como símbolo na arte urbana. Obey Giant, um artista de renome americano, deixou o seu trabalho num mural dedicado à liberdade em que a figura representada é um mulher. Obey Giant fez um trabalho em colaboração com Vhils, o também famosos artista urbano português, deixando outro retrato feminino numa rua bastante local da Graça.

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

E para terminar esta visita que tal ir à melhor vista da cidade? Apenas deixamos uma dica: Ignore os paus de selfie e a garagem de tuk tuks, respire fundo e admire o lindo pôr-de-sol no miradouro da Nossa Senhora do Monte.

Agora que introduzimos a Graça, esperemos que tenha a curiosidade de fazer um tour em Lisboa connosco, onde visitamos este bairro. Basta seguir este link ou contacte connosco para mais informação.