O Santo António é o santo popular de Lisboa. Muitos pensam que é o Santo Padroeiro, mas São Vicente é quem ganhou o título. Porém, quem ganha pontos na popularidade é o Santo António, principalmente quando chegamos ao mês de junho com a diversão e a folia. É a época das sardinhas, dos arraiais, dos casamentos e dos manjericos. Dia 13 de junho é o feriado municipal de Lisboa, mas a noite de arromba é no dia 12 de junho. Fizemos uma lista de sugestões para aproveitarem bem a festa. Aviso principal: Cuidado com as espinhas e as pisadelas!

Quem é o Santo António?

(Imagem: Reprodução Paixões de Isabel)

Imagem: Reprodução Paixões de Isabel

O Santo António, antes de ser santo, chamava-se Fernando de Bulhões e nasceu em Lisboa nos finais do século XII. Entrou na ordem de Santo Agostinho e depois de ter ido estudar para Coimbra mudou de ideias. O corpo de frades franciscanos que morreram em Marrocos, impressionou-o bastante e decidiu ir para a mesma ordem, como missionário. Viajou para Marrocos e depois para Itália, onde morreu, na cidade de Pádua. Ele tornou-se numa figura tão popular que um ano depois da sua morte, em 1231, foi nomeado santo. Em Portugal é o santo que ajuda nos casamentos e a encontrar objetos perdidos. Antes as jovens por casar castigavam o santo: roubavam o menino Jesus da estátua até arranjar marido ou colocavam-no de pernas para o ar até finalmente aparecer um noivo em condições. Imaginação não faltava criar castigos terríveis ao pobre do santo.

Convém ir cedo para Festa…

(Imagem: Reprodução Canoticias)

Imagem: Reprodução Canoticias

Santos à parte, vamos lá para a festa! Quando dizemos ir cedo não é levantar-se com as galinhas. Sugerimos pelas 18h30, para evitar andar às voltas a procurar por um bom sítio para jantar. As filas para as esplanadas improvisadas ou dos restaurantes locais estão quase sempre cheios. Se encontrarem restaurantes que aceitem reservas por esta altura, melhor ainda, mas convém fazer reserva com alguma antecedência.

É melhor levar calçado confortável…

Se querem aproveitar ao máximo os arraiais pela cidade, o melhor mesmo é levar calçado confortável de preferência de proteção contra pisadelas e pés cansados de tanto caminhar e dançar…

Comer uma Sardinha no pão? Como?

(Imagem: Reprodução Visit Sesimbra)

Imagem: Reprodução Visit Sesimbra

Também é uma luta, principalmente para um estrangeiro que nunca viu nenhuma sardinha sem ser em lata. Sabem tão bem, mas para poder apreciar tamanha iguaria no pão, há vários obstáculos: as espinhas, as peles, o de mexer com a mão que acaba por deixar um cheiro pouco agradável. Seja como for é bom de experimentar. Tira-se a pele, come-se a parte de cima, tira-se a espinha por inteiro, vira-se e come-se com o pão. É simples, não é? Em caso de desespero observem alguém perito na arte de comer sardinha no pão. Atenção: não comer as espinhas!

Um Manjerico à janela…

(Imagem: Reprodução cinco de maio)

Imagem: Reprodução cinco de maio

É a decoração ideal para celebrar esta época festiva. O manjerico é a ”erva dos namorados” e apresenta-se sempre com uma quadra escrita numa pequena bandeira e uma flor colorida de papel. Em noite de folia os apaixonados aproveitam para declararem o seu amor a alguém oferecendo o manjerico. Podemos também oferecer aos nossos mais queridos sejam elas namorados, mães. tias e amigos.  Atenção, cheirar o manjerico não é com o nariz, mas com a mão!

Atirar a moedinha!

 

(Imagem: Reprodução Lisbon Lux)

Imagem: Reprodução Lisbon Lux

Antes de entrar em Alfama, na noite de 12 de junho é costume fazer-se um pequeno desvio ao Largo de Santo António da Sé onde se encontra a sua estátua. As moças solteiras e os rapazes que querem apenas ver se conseguem a proeza, tentam atirar uma moeda para cima do livro que o santo segura. Proeza bastante difícil dada a altura do alvo e  há outros rapazes malandros que vão amealhando as moedas para encher os bolsos, trepando pela estátua ou apanhando-as pelo chão. Ninguém leva a mal é dia de festa!

Dançar e Cantar em voz alta!

(Imagem: Reprodução Sol)

(Imagem: Reprodução Sol)

Podemos disfarçar o resto do ano e negamos que ouvimos música Pimba ou sequer dançamos ao seu som. Negamos tudo. Não sabemos as letras das canções ou recusamos dançar. Mas não sabemos porquê, o mês de Junho e os arraiais tem este efeito estranho em nós e quando damos por ela estamos a ”bailaricar” ao som do Quim Barreiros e a fazer o comboio assim que começa a música do ”Apita ao Comboio”. Durante o resto do ano negamos tudo, mas nesta noite não conseguimos resistir… acreditem…

Depois de lerem tudo só nos resta escrever-vos o seguinte na bandeirinha do manjerico:

Nesta noite de Santo António

Ouçam bem com atenção:

Ir com o Fora da Rota

Traz alegria no coração!

Isabel Bernardo
Isabel Bernardo
Nascida e criada em Lisboa, tem a literatura, línguas e turismo como formação e um carinho especial pelo património, história, escrita e música. Entra nesta aventura, pelo gosto que tem em construir historias e passeios e pelo contacto com as pessoas. Fora da Rota é isso mesmo! Uma viagem enriquecedora entre amigos, mostrando os encantos de Portugal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *