Today we are going away from the agitated historical centre of the city and going towards Sao Domingos de Benfica. For those who don’t know, this neighbourhood creates a preconceived idea that there’s nothing interesting to visit. Only 20th century tall buildings with a view of, for some, the cathedral of football – Luz stadium. Wrong! Many don’t imagine that there is still a small patch of history and nature to discover. Leaning next to Calhau Park, a door to the forest of Monsanto, ignoring proudly the passage of time., you find the palace of Marquis of Fronteira.

Built by the order of the First Marquis of Fronteira, D. Joao de Mascarenhas, in the 17th century, it was initially a summer house. After the earthquake of 1755, the house suffered some improvements and got bigger. From then on it became the official residence of the family.

The interior and exterior tiles are remarkable. They set a period of transition between mannerism and baroque. I will tell you which division is my favourite. As soon as you get inside the Battle Room you will be amazed! The tiles represent several victories led by the first Marquis, during the period of Restauration, when we got the independence from the Spanish, back in 1640. The figures appear on the tiles, as if they were Comics’ characters, in a very naive style, perfect to draw a child’s magination who would certainly spend hours inside of the room creating each Battle scene. Some scenes represent some funny situations: British troops, fighting for the Portuguese, hitting the enemy with their rifles, since they ran out of bullets or a poor soldier desperate, caught off guard, fighting as he could, naked…

The other divisions open for visitors are also interesting: the library with a collection of 5000 books from the 18th and 19th centuries, the Arts Room and the Dutch Panels room, with a remarkable and a rich collection of artistic tiles.

And, at last, we arrive at the gardens, listed as the most beautiful in the world.

Useful Information:
It is only possible to visit the palace interior with a guiding visit.
Prices: Palace + Garden – 7,5€; Garden – 3€

Schedule:
october till may – monday to saturday: guiding visits at 11:00 and 12:00
june to september – monday to saturday: guiding visits at 10:30, 11:00 and 12:00
It is closed on sundays and holidays

DSCF5934

marquesdafronteira
DSCF5915

Hoje afastamo-nos um pouco da agitação do centro histórico da cidade e vamos em direção a São Domingos de Benfica. Esta freguesia, para quem não a conhece, cria, de imediato,uma ideia preconcebida de que se tem pouco para ver, com prédios altos construídos entre as décadas de 50 e 80 de onde se avista mais de perto a ‘’catedral’’ para muitos do futebol – o estádio da Luz. Errado! Muitos não imaginam que existe um pequeno retalho de história e natureza para descobrir.

Já quase encostado ao Parque do Calhau, uma das portas para o parque florestal de Monsanto, o palácio Marquês da Fronteira, ignora altivo essa passagem do tempo. Mandado a construir pelo primeiro Marquês da Fronteira, D. João de Mascarenhas, no terceiro quartel do século XVII, foi inicialmente casa de verão. Após o terramoto de 1755, a casa sofreu melhoramentos e ampliação, passando a ser residência permanente da família até aos dias de hoje.

São notáveis os azulejos interiores e exteriores que marcam um período de transição entre o maneirismo e o barroco. Não resisto em dizer qual a minha divisão favorita da casa. Quando entram na Sala das Batalhas ficam surpreendidos! Os azulejos representam as várias vitórias que tinham o primeiro Marquês como protagonista, durante o período da Restauração e que colocavam em confronto as tropas portuguesas e espanholas. As figuras surgem nos azulejos, como se fossem personagens de BD, em estilo quase naïve, avivando a imaginação de uma criança que se as visse ficaria, certamente, entretida durante horas a imaginar cada cena de Batalha. As cenas representam situações caricatas, como tropas inglesas, que ajudavam os portugueses, a não ter alternativa se não atacar à coronhada à falta de balas, ou um pobre soldado apanhado desprevenido, a combater, como podia, ou seja, sem roupa.

As outras divisões abertas aos visitantes também são interessantes: a biblioteca com um acervo de cerca de 5000 livros dos séculos XVIII e XIX , a sala das Artes e a Sala dos Painéis Holandeses, com mais outro exemplo notável da arte de riqueza azulejar.
E, por fim, chegamos aos jardins, considerados dos mais bonitos do mundo.

Informações úteis:
Para visitar o interior do palácio só é possível fazê-lo com visita guiada.
Preços: Palácio + Jardim – 7,5€; Jardim – 3€

Horário:
outubro a maio – 2a feira a sábado: visitas guiadas às 11h e às 12h
junho a setembro – 2a feira a sábado: visitas guiadas às 10h30, 11h00, 11h30 e 12h
encerra domingos e feriados

Isabel Bernardo
Isabel Bernardo
Nascida e criada em Lisboa, tem a literatura, línguas e turismo como formação e um carinho especial pelo património, história, escrita e música. Entra nesta aventura, pelo gosto que tem em construir historias e passeios e pelo contacto com as pessoas. Fora da Rota é isso mesmo! Uma viagem enriquecedora entre amigos, mostrando os encantos de Portugal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *