(Imagem: Reprodução nome do portal de onde foi sacado)
Verão de São Martinho – uma tradição
9 Novembro, 2017

Palácio da Fronteira – Uma surpresa apalaçada em Lisboa

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

 

 

Se estão sem saber o que fazer em Lisboa para este fim de semana a nossa proposta é, para além de fazer, uma vista guiada connosco é fazer uma visita ao Palácio da Fronteira. Uma pérola escondida em Lisboa, ainda desconhecida por muitos e situada perto do rebuliço citadino, mas inserido numa paisagem bucólica em que por momentos nos esquecemos que estamos na cidade. Uma visita a não perder!

Hoje afastamo-nos um pouco da agitação do centro histórico da cidade e vamos em direção a São Domingos de Benfica. Esta freguesia, para quem não a conhece, cria, de imediato,uma ideia preconcebida de que se tem pouco para ver, com prédios altos construídos entre as décadas de 50 e 80 de onde se avista mais de perto a ‘’catedral’’ para muitos do futebol – o estádio da Luz. Errado! Muitos não imaginam que existe um pequeno retalho de história e natureza para descobrir.

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

Já quase encostado ao Parque do Calhau, uma das portas para o parque florestal de Monsanto, o palácio Marquês da Fronteira, ignora altivo essa passagem do tempo. Mandado a construir pelo primeiro Marquês da Fronteira, D. João de Mascarenhas, no terceiro quartel do século XVII, foi inicialmente casa de verão. Após o terramoto de 1755, a casa sofreu melhoramentos e ampliação, passando a ser residência permanente da família até aos dias de hoje.

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota

São notáveis os azulejos interiores e exteriores que marcam um período de transição entre o maneirismo e o barroco. Não resisto em dizer qual a minha divisão favorita da casa. Quando entram na Sala das Batalhas ficam surpreendidos! Os azulejos representam as várias vitórias que tinham o primeiro Marquês como protagonista, durante o período da Restauração e que colocavam em confronto as tropas portuguesas e espanholas. As figuras surgem nos azulejos, como se fossem personagens de BD, em estilo quase naïve, avivando a imaginação de uma criança que se as visse ficaria, certamente, entretida durante horas a imaginar cada cena de Batalha. As cenas representam situações caricatas, como tropas inglesas, que ajudavam os portugueses, a não ter alternativa se não atacar à coronhada à falta de balas, ou um pobre soldado apanhado desprevenido, a combater, como podia, ou seja, sem roupa.

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

(Imagem: Isabel Bernardo, Fora da Rota)

As outras divisões abertas aos visitantes também são interessantes: a biblioteca com um acervo de cerca de 5000 livros dos séculos XVIII e XIX , a sala das Artes e a Sala dos Painéis Holandeses, com mais outro exemplo notável da arte de riqueza azulejar.
E, por fim, chegamos aos jardins, considerados dos mais bonitos do mundo.

Informações úteis:
Para visitar o interior do palácio só é possível fazê-lo com visita guiada.
Preços: Palácio + Jardim – 7,5€; Jardim – 3€

Horário:
outubro a maio – 2a feira a sábado: visitas guiadas às 11h e às 12h
junho a setembro – 2a feira a sábado: visitas guiadas às 10h30, 11h00, 11h30 e 12h
encerra domingos e feriados

Isabel Bernardo
Isabel Bernardo
Nascida e criada em Lisboa, tem a literatura, línguas e turismo como formação e um carinho especial pelo património, história, escrita e música. Entra nesta aventura, pelo gosto que tem em construir historias e passeios e pelo contacto com as pessoas. Fora da Rota é isso mesmo! Uma viagem enriquecedora entre amigos, mostrando os encantos de Portugal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *