Normalmente, as grandes festas de santos celebram-se durante o verão. Mas há também um que faz a festa, mas no outono, mais precisamente no dia 11 de novembro. Os dias por essa altura são quentes. É o chamado verão de São Martinho. O santo, apesar de chegar bastante atrasado em relação aos outros festivaleiros, não se importa de festejar sozinho com castanhas assadas, em vez de sardinhas.

(Imagem: Reprodução ATC)

Imagem: Reprodução ATC

Dia 11 de Novembro celebra-se o verão de São Martinho. O verão chega por uns dias para enganar o outono e o povo descasca e come as castanhas quentinhas e bebe água-pé ou jeropiga, uma bebida com aguardente e mosto de uva, convidativa para aquecer nos dias mais frios.

Quem foi São Martinho?

São Martinho ou São Martinho de Tours nasceu no ano de 316 na atual Hungria. Filho de um legionário romano, Martinho cresceu em Itália e cedo seguiu a carreira militar, viajando pelo Império Romano do Ocidente. Tendo crescido com uma educação pagã, São Martinho converteu-se ao cristianismo e foi batizado em 356. Depois na sua vida religiosa foi responsável pela fundação de antigos mosteiros em França, e ordenado bispo de Tours em 371. Morreu em Candes a 8 de novembro e foi sepultado em Tours a 11 de novembro de 397.

A Lenda

martinho

Imagem: Reprodução Assis Leader

Ora reza a lenda que o soldado romano Martinho, num dia chuvoso e de inverno, seguia caminho montado a cavalo. De repente encontrou um pobre mendigo e, com pena, rasgou metade do seu manto, cobrindo-o com uma das partes e seguiu. Mais tarde, encontrou outro mendigo na mesma situação e Martinho partilhou a outra metade da capa, ficando sem nada para cobri-lo. Conta a história que Martinho já cheio de frio com o vento e chuva foi surpreendido por algo inesperado: de repente as nuvens negras desapareceram e o sol surgiu quente e radioso. O bom tempo prolongou-se por três dias e assim tem sido por esta altura do ano.
O São Martinho é celebrado em vários países. Em Portugal celebra-se o Magusto com fogueiras, castanhas assadas, água-pé, jeropiga para alegrar os dias mais cinzentos de outono. Brinca-se, suja-se com as cinzas das fogueiras e canta-se. Vai-se à adega provar pela primeira vez o vinho novo. A castanha é o petisco de eleição. Antes da introdução da batata na Europa era a base de alimento especialmente no campo. No dia de Todos-os-Santos faziam-se fogueiras e comiam-se castanhas, tendo sido essa tradição adiada, mais tarde, para o dia de são Martinho. Aproveitem! Como diz o povo, ‘’Água-pé, castanhas e vinho faz-se uma boa festa pelo São Martinho!’’.

Isabel Bernardo
Isabel Bernardo
Nascida e criada em Lisboa, tem a literatura, línguas e turismo como formação e um carinho especial pelo património, história, escrita e música. Entra nesta aventura, pelo gosto que tem em construir historias e passeios e pelo contacto com as pessoas. Fora da Rota é isso mesmo! Uma viagem enriquecedora entre amigos, mostrando os encantos de Portugal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *